Arqueologia e Vinho

Arqueologia e Vinho

Arqueologia, História e Tradição Vinícola Etrusca na Toscana  – Introdução.

No coração da Maremma, encastoado no alto da linha de colinas que separam a bacia do rio Ombrone do vale do rio Albegna, fica o burgo de Scansano, conhecido pelo seu vinho: o Morellino di Scansano.

Há mais de dez anos Scansano tem também um papel primordial na pesquisa arqueológica sobre a vitivinicultura na antiguidade. Ali foi realizado, em 2005, um Congresso importante, organizado pelas Universidades de Siena e de Milão, pela Superintendência Arqueológica da Toscana e pela Prefeitura de Scansano: “A Arqueologia da Videira e do Vinho na Etrúria”.

Uma questão foi levantada: é possível que na atual vegetação da Etrúria tenham sobrevivido remanescentes da paisagem vegetal etrusca?

Entre arqueologia, botânica, e genética, a pesquisa teve como objeto as características biomoleculares das videiras, aparentemente selváticas, que hoje em dia vegetam na proximidade de sítios arqueológicos.

A pesquisa conseguiu localizar e fazer a amostragem, em áreas de grande potencial arqueológico, de um elevado número de videiras perto de assentamentos etruscos e romanos, que em sua grande maioria apresentavam traços de atividades vitivinícolas (trincheiras de cultivo de vinhas, instalações de prensagem, e grande número de recipientes em cerâmica para conservação e transporte do vinho).

E o que descobriram ao analisar as amostras? Bem… esse é o assunto do próximo post dessa série. Acompanhe!

Comentários do Facebook

Share with:

FacebookTwitterGoogleLinkedIn